Ditadura da beleza

  Desde o início dos tempos, a mulher é vista como um objeto masculino, crescemos com esse pensamento, é obvio que nós mulheres também desejamos ter homens bonitos ao nosso lado, mas quantas vezes já viu um homem feio com uma mulher linda do lado? e o contrário?

Não culpo somente os homens por essa situação, nós mulheres também somos a culpada disso, pois deixamos isso acontecer, deixamos que as pessoas nos julguem pela aparência, esses dias estava assistindo um vlog, onde a menina mostrava suas piores fotos, aí no meio de uma foto ela solta a frase ” Ah , eu estava tão feia que nem sei como me deixaram sair na rua”, não a culpo, pois sei que todas nós em algum momento falamos ou pensamos isso á respeito de alguém, ou até de nós mesmos. Quantas vezes em uma turma nova , seja escola/curso, ou outra situação onde estamos conhecendo pessoas , você, mesmo não tendo interesse sexual em uma pessoa, não a julgou melhor ou mais interessante que as outras só pela sua aparência? Até o fim do meu ensino fundamental eu estudei em escolas particulares, e eu sempre via aquelas meninas populares , e pensava o que elas tem de tão especial assim? não era o carisma, o dinheiro ou as roupas; até porque na escola que eu estudava tínhamos uniforme da blusa aos sapatos, elas tinham beleza, e óbvio que o seu maior publico não eram os meninos, e sim as meninas, claro que os meninos gostariam de ficar, ou namorar com elas, mas não foram eles que as colocaram nesse pedestal. Cansada de sofrer naquela escola, e de perder a minha esperança na humanidade, no inicio do ensino médios resolvi mudar de escola, e fui pra uma escola publica e tive vergonha de mim. No primeiro dia fiquei assustada com as pessoa, elas eram feias, tinham cabelo ruim , dentes feios, eram a maioria negros, e tinha uma menina grávida, e sim eu fiquei assustada, logo selecionei as pessoas aparentemente mais parecidas comigo e fiz amizade com elas, eu não me considerava uma pessoa preconceituosa, até porque , sou pobre, e nasci e cresci em um bairro muito mal visto aqui na minha cidade, mas com o tempo acostumei novamente com a minha realidade, e percebi que estava sendo como as pessoas da minha antiga escola.

Hoje no auge dos meus 16 anos, e com toda babaquice adolescente que é possível caber  em mim, estou enfrentando uma fase muito ruim, e sei que a causa dessa “crise” é a minha aparência, depois de quase 3 anos, estou sem meus cabelos coloridos e deixei de ser tão magra, simplesmente não me reconheço mais, pois perdi minhas duas características mais impactantes, e me vejo escrava dessa ditadura da beleza que se encrostou sobre toda a população feminina. 

Anúncios